quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Vejo você dormir, assisto teu sono como quem assiste uma missa, uma reza, uma declaração de guerra. Tenho tanto orgulho de ti, choro por ti, rogo a ti, confio em ti. És um pedaço de céu que se tornou real e possível, és uma verdade bela, uma primavera em pleno outono.

Nenhum comentário:

Postar um comentário